Último dia de sudeste asiático

Depois de 7 meses no sudeste asiático estou empacotando a minha bicicleta rumo à Oceania. Lá, meu plano é pedalar na Austrália e Nova Zelândia para depois quem sabe, pedalar na Ásia Central.

Hong Kong, Macau, China, Vietnã, Cambójia, Tailândia, Malásia, Singapura, Filipinas e por fim Indonésia… pouco mais de 8000 km e muitas histórias, emoções, fotos, receitas… no entanto o que mais me marcou foi o contato que tive com as pessoas. Foi o sorriso, o carinho, a simplicidade, o espanto, a ajuda involuntária que deu o colorido especial até aqui. É claro que tive algumas decepções, pois a estrada não é feita só de alegrias e confesso que em alguns casos esperava mais das pessoas. Mas isso serve de aprendizado… e cada situação superada o sentimento de saber que posso ” contar comigo” só aumenta. Me deixa mais forte e confiante para seguir em frente.

Minha última grande emoção foi ver essas crianças cantando o Hino Nacional da indonésia. Eu não sei explicar direito o por que de ter me emocionado tanto… acredito que a saudade da minha filha e de todos aí no Brasil,  ver a família reunida em um gostoso evento (niver do meu querido sobrinho Rafinha), a estréia do Brasil na Copa (um evento que eu adoro), e a eminência de perder um ente querido me fez chorar ao ver essas crianças. Um lapso emocional que mostra um pouco de fraqueza? Pode ser… ninguém é de ferro, não é verdade? Esse meu coração bate cheio de saudade! Cada dia que passa a batalha da saudade só aumenta… Isso é um leão que mato todos os dias…. Putz! Mas de vez em quando ela me derruba!

Mas a fé e a coragem estão aqui para me ajudar!

Força Tia Dira! Obrigado pelo carinho e por tudo que fez por nós!

 

 

 

Anúncios

Difícil vida de cicloturista na Ilha de Sumatra – Indonésia

A Ilha de Sumatra é a sexta maior ilha do mundo e a Indonésia é o 4º país mais populoso do mundo com mais de 245 milhões de habitantes. Estou pedalando acima do meu ritmo normal, pois pretendo chegar até a ilha de Bali pedalando e meu visto é de apenas 30 dias. Estou com cronograma apertado! São mais de 2000 km de pedal na Indonésia e ainda quero visitar Jakarta e Bali.

Estrada e pontes estreitas.

Estrada e pontes estreitas..

O forte calor e o relevo deixam a minha aventura ainda mais difícil. Para complicar, a chuva cai forte várias vezes por dia me obrigando procurar abrigo. As estradas não possuem acostamento, tem asfalto irregular com várias crateras e são bem estreitas. Pedalo com o máximo de atenção e os solavancos refletem toda tensão no trapézio (pescoço e nuca). Fico bem cansado no final do dia.

Povo simpático e sorridente.

Povo simpático e sorridente.

Trânsito pesado em Palembang - Indonésia

Trânsito pesado em Palembang – Indonésia

Crianças brincando no rio.

Crianças brincando no rio.

A comida na estrada é simples. Geralmente peixe e frango fritos em óleo servido com arroz e molho de pimenta. Quando dou sorte encontro algum lugar em que o peixe ou o frango vem acompanhado com um delicioso e apimentado molho de coco. Com maioria muçulmana, não é fácil encontrar bebida alcoólica e o chá é a principal bebida que acompanha as refeições.

As crianças continuam dando um show!

As crianças fazem a festa com a minha presença.

As crianças fazem a festa com a minha presença.

 

Este foi o único hotel que encontrei em Tugumulyo… Vida de cicloturista não é moleza… Imagina fazer o “número 2” depois de mais de 100 km pedalados nessas condições… kkkk

 

 

Um pouco mais de Hanói, a capital do Vietnã

IMG_9246

O Mausoléu de Ho Chi Minh é um grande monumento onde está enterrado o maior líder revolucionário e estadista vietnamita. Líder na dura guerra em busca da independência, Ho foi mestre em tática de guerrilha, e conseguiu libertar o país dos franceses apenas em 1976.

IMG_9245

Tower Flag Hanói

Com cerca de 41 metros de altura, a Torre da bandeira foi construída em 1812 e hoje está localizada no Museu da História Militar do Vietnã. É um dos poucos monumentos que não foi destruído durante a ocupação francesa e hoje é o principal símbolo da cidade.

 

IMG_9066

Templo Budista e a fé dos Vietnamitas em Hanói

A principal religião do Vietnã é o Budismo com aproximadamente 50% da população. Com apenas 4%, o catolicismo marca presença com a belíssima Catedral de St. José, construída em em 1886 em estilo néo-gótico.

 

IMG_9058

Catedral de São José – Hanói

Outro monumento muito visitado é o globo terrestre que fica ás margens do Lago Hoam Kien que exibe o Vietnã em destaque.

 

IMG_9050

Globo Terrestre com o Vietnã e sua Capital Hanói em destaque.

 

Lago de Hoam Kien - Hanói

Lago de Hoam Kien – Hanói

 

 

O embarque

Passei o dia todo tranquilo! Tudo já estava devidamente empacotado. Na véspera passei um grande susto! A capa impermeável da mochila que a Arara Una confeccionou carinhosamente ficou pequena e simplesmente não entrou na mochila. E agora? Na primeira chuva estaria com meus equipamentos e roupas molhados. Confesso que fiquei tenso até conseguir uma solução, cerca de 40 minutos depois. Minha cabeça não parava de pensar e eu não aceitava a idéia de um projeto legal como o meu ter que usar um saco de lixo para resolver o problema. Ok! Era uma saída, mas não me agradava em nada. A maneira que encontrei para solucionar o problema foi confeccionar uma nova capa com uma lona leve e impermeável que eu costumo levar em minhas viagens. Mas como conseguir alguém para costurar na sexta feira, feriado nacional? Bom, consegui uma costureira e no sábado 10:00h da manha já estava com o problema resolvido. Gastei uma graninha a mais, mas voltei à calma novamente. Deu até pra conferir o titulo do Verdão no Pacaembu e sair para jantar para comemorar os 45 anos de casado dos meus pais.

No aeroporto outro gasto extra. Embora minha bagagem tenha ficado dentro do peso, 29.8 kg a mochila e 31kg a bike, a caixa da bicicleta ultrapassou as medidas de volume e tive uma super despesa extra no embarque. Coloquei a bike na caixa para protegê-la. A recepcionista da Turkish Airlines até disse para eu tirar a bike da caixa, mas em uma viagem longa como essa, com uma conexão, achei melhor pagar. Mais seguro! Mas fica o alerta aos meus amigos cicloturistas.

Eu não sou muito bom de despedidas, principalmente quando sou eu que estou partindo. É uma sensação esquisita deixar tudo para traz por quase 6 meses e se sentir excitadíssimo por realizar um sonho. Mas como sempre digo, para ter alguma coisa, necessariamente é preciso abrir mão de outras…

Dei um rápido abraço em todos, e outro mais demorado na Ana Laura… Consegui disfarçar a emoção na frente deles e fui ao banheiro me recompor e enxugar as lágrimas depois de passar pela imigração. Emoção pura!

Vamos que vamos!