Diarreia em cicloviagem! Como devemos proceder?

IMG_1019

Diarreia não tem hora nem lugar para aparecer!

Eu já vi casos graves de diarreia e vômitos durante uma cicloviagem. Provenientes de vários fatores, como comida e água, por exemplo. A diarreia exige repouso e hidratação, como sugere o Dr. André Moro.

Segundo Moro, em casos leves, deve ser realizada hidratação oral, imediatamente após o primeiro episódio, com isotônicos ou mesmo água, e dieta pobre em fibras ( alimentos a base de farinha branca, ovos desde que não sejam fritos, arroz, massas não condimentadas, pão e legumes cozidos, são alguns exemplos).

Em casos mais graves, recomenda-se hidratação endovenosa, de preferência com solução fisiológica associada a glicose, bem como medicações contra o vômito e diarreia se coexistirem. Neste caso, aborte a viagem e procure um hospital o mais rápido possível.

575631_460850163970792_1012083498_n  André dos Santos Moro é um grande amigo e o médico que me acompanha em minhas viagens. Temos um canal direto de comunicação e sempre que o “bicho pega”, é ele que me orienta em como devo proceder. Moro graduou-se em Medicina pela Faculdade de Medicina de Marília (FAMEMA) em 1997. Realizou Especialização em Cardiologia na Santa Casa / Instituto do Coração de Marília de 1998 a 2000 e em Ecocardiografia no IMC – Instituto de Moléstias Cardiovasculares de São José do Rio Preto de 2000 a 2001. Concluiu o Doutorado em Fisiopatologia em Clínica Médica – Área de Concentração em Cardiologia – na Faculdade de Medicina da Unesp – Botucatu em 2009. Possui Título de Especialista em Cardiologia, obtido em 2000, e Certificado de Atuação em Ecocardiografia, obtido em 2002, ambos pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Foi Presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (SOCESP) – Regional Marília, no biênio 2012-2013. Atualmente, é Docente do Departamento de Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade de Marília. Responsável pelo Serviço de Ecocardiografia do Hospital Universitário de Marília. Atua na UTI – Adulto do Hospital Universitário de Marília. É atleta amador e já participou de inúmeras provas de corrida de rua. Trabalhou como voluntário na Olimpíadas Rio 2016