Festa de Despedida

Festa de Despedida

Legal receber o carinho e o apoio de todos que estiveram na festa.
Falar um pouquinho com cada um foi muito legal! Aqueles que eu vejo pouco então, nem se fala! Matar a saudade ou aumentar no tchau! Qual prevalece! A saudade é eterna!
Click abaixo e veja as fotos/Click below to see the photos

“Um abraço vale mil palavras. Um amigo mais.”

 

 

FAREWELL PARTY

It was great to feel the affection and support from all the friends at the party.
It was cool to exchange ideas with each one ! Specially with those that I have hardly had the chance to meet lately. After being so happy to see people I missed so much, it was hard to know that in a short while I would miss them even more during the trip. What really prevails ! Eternal longing !

“A hug is worth a thousand words. A friend is more. “

Faltam 10 dias para a viagem

Bicicleta na Cabeça

Passo horas em frente ao computador coletando informações, fazendo contatos, mandando email, atualizando o blog etc.. Minha cabeça não pensa mais em outra coisa que não seja essa minha aventura. Durmo e acordo pedalando nela!!!
Agora, por exemplo, estou horas sem comer. Quando vejo estou com a barriga roncando! Uma informação puxa outra, a outra mais uma, e aí vai…
No entanto, esse trabalho me traz uma sensação de segurança e conforto. A cada informação registrada, aumenta a minha confiança. Mas é aí que o bicho pega!
Lutando contra esse sentimento de tranqüilidade, uma reação instantânea vinda das profundezas do meu cérebro me tira da zona de conforto e o trabalho recomeça.
Neste momento estou focado em fazer contatos com os hotéis e restaurantes. A embaixada do Brasil em Oslo esta ajudando a divulgar o projeto com as autoridades de turismo de cada região que vou passar. Ajuda legal!
Ainda tenho algumas coisas em aberto como a filmadora, barraca e o sistema de comunicação que irei usar. Vou escolher na hora comparando preço, custo benefício, praticidade e etc.. Isso vai gerar uma correriazinha em Nova Iorque e depois em Oslo.
Ainda não encontrei um lugar para deixar meu mala-bike em Oslo. Não estou nem um pouco a fim de pagar um deposito por quatro meses. Outra coisa que não consegui, e isso é que esta me preocupando mais no momento, foi encontrar uma maneira viável e econômica de traduzir o blog.

Sala de casa

Just 10 days before the trip

I spend hours in front of the computer collecting information, making contacts, sending emails, updating the blog, etc. .. I can´t think of anything else but this adventure. I fall asleep and wake up just like if I were cycling my bike !!! Like now for instance, it´s been hours since I don´t eat. I just notice I´m hungry when I hear the roaring from inside my stomach! An information leads to another, and to another, and so on….. However, this work gives me a sensation of self-confidence and comfort. Confidence increases every time I collect a new information. But that´s when I have to get wise ! When I struggle against this easiness feeling, an instant reaction arises from the depth of my brain and takes me away from the comfort zone leading me back to the working process.
Right now I am focused on making contacts with hotels and restaurants. The Brazilian Embassy in Oslo is helping me to publicize the project with the tourism authorities of each region that I will pass by. Great Help! I still have some things to be done, such as define the camera, the tent and communication system to be used. I’ll choose them at the time of the purchase, comparing prices, cost benefit, practicality, etc. .. This will make me walk all around New York and Oslo.
I still haven´t found a place to keep my bike-suitcase in Oslo. I really don’t feel like paying a deposit for four months. Another thing that I’m worried about is the fact that I haven’t been able to find an economic and practical way to have the blog translated.

Últimos ajustes.

Bik Fit na Pedal Power

Ontem fui a Pedal Power para fazer o Bike Fit.
O Bike Fit é um estudo biomecânico que ajusta a sua bicicleta de acordo com seu padrão físico para melhorar o rendimento, prevenir lesões, e deixar seu pedalar mais confortável.
Depois de responder algumas perguntas sobre objetivos, onde e quanto pedalo, histórico de lesões, dores, incômodos, maneira que gosto de pedalar, passei por uma série de testes de flexibilidade e postural.
Com a bicicleta encaixada em um rolo (simulador), minha bicicleta foi sofrendo ajustes no pedal, no selim, na mesa, no guidão, nos manetes, e etc. Minha sapatilha esquerda ganhou uma palmilha e as duas sofreram um ajuste nos tacos.
Senti o resultado na hora! A La Macchina ficou muito mais confortável! Estou me sentindo mais confiante ainda!
Faltam 11 dias para a viagem

Yesterday I went to the Pedal Power (Bike Store) for a Bike Fit.
Bike Fit is a biodynamic study that adjusts your bike according to your physical standards as to enhance the efficiency, prevent lesions, and make your pedaling more comfortable.

After answering some questions about goals, where and when I cycle, lesion records, pains, discomforts, the way a like to pedal, I went through a series of flexibility and posture tests.
The bike was fit into a roll (simulator), and had some adjustments in the pedal, seat, handlebars, lever, etc… A new insole for my left shoe and a bolt cleat adjustment for both shoes. I felt the results at once ! La Machinna became much more comfortable ! I ‘m even more confident.

APR 22nd

Last Adjustments

Still 11 days left for the trip.

Lá vem ladeiras!!!

Pesquisei muito sobre as estradas da Noruega.

Roteiro "Noruega by Bike"

As informações que obtive asseguram estradas ótimas.  Mesmo as vias secundárias são bem sinalizadas.

O país possui um terreno muito montanhoso e acidentado, tornando o pedalar um grande desafio. A montanha mais alta é a Sognefjellet com cerca de 1500m acima do nível do mar. Felizmente ela não esta no litoral. No entanto há uma enorme quantidade de montanhas entre 1000 e 1350m de altura no meu roteiro que exigirão muito do meu preparo físico. Pelo que pesquisei, é um sobe e desce do caralho!

No norte, as distâncias entre as cidades são longas e os pontos de apoio são raros. Isso exige uma organização e logística para não morrer de fome e de frio. Para compensar, o terreno é menos montanhoso.

Outro fator importante é a quantidade de túneis longos que não podem ser evitados. Em muitos o tráfego é bem carregado e com a escuridão fica um pouco mais arriscado.

Os restaurantes e alojamentos de beira de estradas são muito caros. Não existem muitos albergues e não há B&B (bed &breakfast). Barraca e saco de dormir são as minhas primeiras opções.

Com um litoral incrivelmente recortado, há muitos ferry boat, principalmente na região dos fiordes.

Here come the hills!!!

I researched a lot about Norway.
The information I got made me sure that the roads are great. Even the secondary roads are well signalized. It’s a great challenge to ride along the country’ s hilly and uneven ground. The highest mountain is Sognefjellet about 1.500 meters above sea level. Fortunately it’s not by the sea shore. However there are many mountains about 1.500 and 135 meters high on the route that will require a lot of my physical preparation. Considering what I have researched, it is a fucking up and down journey!
The distances’ between the cities are long and the support stops are rare in the North.
This demands an organization and logistic that won’t let me die of hunger and cold. To compensate the ground is not so hilly.
Another important issue is the number of long tunnels that can’t be avoided.
In many of them the traffic is heavy and in the darkness they are pretty risky.
The restaurants and lodging along the roads are very expensive. There are not many hostels and no B&B(bed and breakfast). First options are the tent and the sleeping bags. As the shore is extremely intersected there are many ferry boats, mainly in the fjord regions.

Festa de despedida!

“Sabemos que do mundo nada se leva. Mas é formidável ter uma porção de amigos a quem dizer adeus!”

Pessoal,

O tempo está passando rápido e está chegando a hora da minha despedida! Essa despedida no entanto, não tem aquele apelo tradicional de tristeza ou de vazio na alma… Muito pelo contrário! Essa despedida é repleta de satisfação, curiosidade e claro ansiosidade para o que estar por vir: minha viagem de bike pela Noruega!

Separei meu último sábado no Brasil para compartilhar pessoalmente com todos os que apoiaram, apóiam ou simplesmente simpatizam com este projeto tão relevante para mim. Quero compartilhar com vocês que apóiam o projeto minhas últimas expectativas e principalmente agradecer todo o suporte que tenho recebido antes de começar a pedalar. O suporte que tenho recebido são tantos…, cada um com seu significado especial.
Sinto-me privilegiado toda vez que visualizo o apoio dos patrocinadores, o número de acessos do blog, cada comentário deixado, cada comentário que se ‘curte’ no facebook, cada retwitter… Vocês não fazem idéia do tamanho da minha satisfação ao ver o projeto acontecendo!

A festa de despedida será a hora de atualizar os contatos para quem ainda não fez…, de salvar o endereço do blog nos ‘favoritos’, de me adicionar no twitter e no facebook…, e principalmente de começarmos juntos a contagem regressiva!

Ficarei muito orgulhoso com sua presença!

Dia 26/03 a partir das 15:30h na Casa do Espeto – Pompéia
R Cotoxó, 583
Veja como chegar

Ciclovia: ótima alternativa para fim de semana.

Ciclovia Parque Villa Lobos


Ontem fui dar umas pedaladas na ciclovia que vai do parque Villa Lobos até o parque do Ibirapuera, passando por dentro do parque do Povo.
Encontrei todo tipo de ciclistas. Muita família passeando e muita gente usando o domingo para relaxar e queimar algumas calorias. Como em todo lugar no Brasil que reune pessoas, fica nítida a falta de noção de alguns. Usando apenas uma faixa de rolamento, a ciclovia fica congestionada em alguns pontos, principalmente ao fechar o semáforo. Nada que com calma não se pode resolver… mas tem uns apressadinhos! Tem cara que quer treinar velocidade na ciclovia! Por favor! Não é o local mais indicado. Outros parecem ser proprietários da faixa. Pedalam em dupla, utilizando a faixa inteira, em uma velocidade de tartaruga e nem se quer olham para traz para ver a fila que se forma. Alguns ficam irritados com esse comportamento tomando atitudes que colocam em risco a sua própria segurança, saindo da área demarcada para ultrapassar.
Vi crianças de todas as idades e com as mais diferentes habilidades. Algumas aprendendo a andar de bike com aquela tremor característico refletido no guidão. Outras ainda pedalando de rodinhas e muitas andando em cadeirinhas sendo carregadas pelos pais. Ainda tem aqueles moleques da pá virada que saem cortando todo mundo! Em geral as crianças não oferecem riscos.

Bike na ciclovia


As bicicletas são um caso a parte. Muitas relíquias e modelos de todos os gostos. De vez em quando você cruza com um daqueles caras sem noção, que pedala em uma bicicleta totalmente fora do padrão para sua altura e peso. O cara pedala e parece que vai dar uma joelhada no queixo. Engraçado!
Achei super legal a iniciativa de ter staffs em todos os cruzamentos assim como cones protegendo a ciclovia. Em uma manobra repentina á minha frente, fiz um desvio forçado e meu trailer passou por cima de um cone e capotou. Foi um descuido da mulher que pediu desculpas! Tudo dentro do normal!
Em alguns pontos do trajeto existe pessoas prestando serviço de reparos nas bicicletas. A maioria dos problemas consegue ser solucionados ali mesmo.
Outro ponto positivo para quem quer passear no domingo de bicicleta é o trajeto. Só existe subida na saída do túnel, o restante do circuito é todo plano.
A dica para quem não quer apenas passear é usar a ciclovia logo de manhã. O transito é menor permitindo em alguns trechos uma pedalada mais forçada.
Faltam 18 dias para a viagem!

Bike lane: a great alternative for the weekend.

Yesterday I pedaled from Villa Lobos bike Lane to Ibirapuera Park crossing the Povo Park. I met all types of bikers. Families strolling, and people spending the Sunday to relax and burn some calories. As everywhere in Brazil where people gather, it is very clear that there is lack of awareness from some people regarding the use of just one of the break down lanes. The bike lane gets crowded at some points, mainly at the red traffic light. Nothing that wouldn’t be solved easily… but there are some impatient ones! There are guys who want to train speed in the bike lane! Please! It’s not the most suitable place! Others seem to own the place. They double pedal, using the entire lane in a “turtle speed” and not even looking behind to realize that there is a queue behind them. Some get pissed off because of this behavior and take attitudes that may put their own safety in danger by getting out of the limits to pass over others. I saw children of all ages with different abilities. Some learning how to ride the bike typically shaking and reflecting it to the handle bar.
Others still riding children’s bikes and on bike seats with their parents. There are also some naughty kids crossing in front of everybody! But in general children offer no risk.
The bikes are very unusual; many are antiques and models for all tastes. Every once in a while you come across one of those guys that don’t know exactly what they are doing, who are riding on a kind of bike that is completely out of the standards for his height and weight. As the guys pedal, it seems that they are going to hit their legs on their chin. Fun!
I thought the initiative of staff service in all intersections was cool, as well as the safety cones to protect the bike lane. In a sudden turn ahead of me, I had to bypass a cone and had no time to avoid it. My trailer ran over the cone and turned over. It was a woman’s fault and she apologized for it! Nothing special!
At some points of the route there is a bike repair service available. Most of the problems can be solved right there. Another positive point for the ones who want to ride on Sundays is the track. There is just a hill in the exit of a tunnel; all the rest of the track is flat. A tip for those who want to train is to use the bike lane early in the morning. There is less traffic so it’s possible to pedal harder. Still 18 days left for the trip!

Cuidados com a chuva e o frio

A temperatura média na Noruega entre os meses de abril e agosto varia entre -5 º e +20 º C. A tendência é que mesmo ganhando latitude, ou seja, se aproximando do Ártico, a temperatura média aumente um pouco. Porém, a instabilidade climática causada pela proximidade do pólo, sugere mudanças rápidas no tempo. Quanto mais ao norte, mais rápidas são as mudanças climáticas.
Pedalar no frio é sem dúvida uma das preocupações desta viagem.
Além de não estar habituado a frios extremos, a sensação térmica causada pela pele molhada, de chuva ou de suor, pode acelerar a chegada da hipotermia. Manter-se seco no frio é prioridade. Para isso, usarei roupas especiais.
Basicamente são três camadas diferentes de roupa.

Segunda pele

A primeira camada é conhecida como “underwear” ou “segunda pele”. Feito de tecido sintético é bem justa, permitindo a pele respirar, eliminando o suor e mantendo o corpo aquecido.

Fleece

Os chamados “fleece” formam a segunda camada. Serve de isolante térmico que serve para reter o calor corporal, composta por uma ou mais peças ou casacos. Geralmente em poliéster, é bem leve se considerar a espessura, não retém umidade, seca rápido, permite um bom fluxo de ar entre as camadas.

Anoraks

A última camada é formada pelo “anoraks”. Um tecido sintético á prova d’água, com função corta vento, com tecnologia para deixar o suor sair. A fibra mais conhecida é o Gore-tex. Os casacos de Gore-tex são importantíssimos na pratica esportiva no frio. Não se deve economizar nesse material. Um casaco de baixa qualidade pode transforma-se em sauna, fazendo o suor se transformar em gelo.
Essas três camadas também são utilizadas nos pés, mãos e cabeça.

Be Careful with cold and rain

Between the months of April and August the average temperature in Norway ranges from -5°C to +20°C. As going to the North, approaching the Arctic, the average temperature tends to slightly increases. However the weather instability caused by the pole proximity, suggests swift weather changes. The northern it is, the fastest the weather changes. To pedal in the cold is no doubt, one of my greatest concerns about this trip. Besides not being used to pedal in extremely low temperature, the wind chill caused by wet skin, rain and sweat, can speed up hypothermia. It is a priority to stay dry in the cold. That’s why I will wear special clothes. Basically I will have to wear three layers of clothing.
The first layer is known as “underwear” or “second skin”. Made of synthetic fabric, it fits tightly allowing skin breath, eliminating sweat and keeping the body warm. The so-called “fleece” forms the second layer, serving as a thermal insulator that keeps the body heat. It can be composed of one or more pieces or coats. The “fleece” is usually made out of polyester and although being very thick it is still very light, not retaining moisture, quickly drying, and allowing a nice flow of air between the layers.
The last layer is formed by “anoraks”. A synthetic water proof fabric that protects from the wind, and that has a technology to let the sweat out. The most well-known fiber is the Gore-tex. The Gore-tex coats are very important for sports practice in the cold. It is not convenient to save with this kind of clothing. A low quality coat can become a sauna, and therefore transform the sweat into ice. These three layers are also used on the feet, hands and head