Viajar com Sapatilhas é a melhor opção? Veja a resposta do “Pai da Matéria” – Walter Magalhães, diretor do Clube de Cicloturismo do Brasil.

Perguntei ao experiente Walter Magalhães, “Pai da Matéria”, diretor do Clube de Cicloturismo do Brasil, sobre o uso de sapatilhas em viagens de bike. Confira a resposta!

Por: Walter Magalhães, Diretor do Clube de Cicloturismo do Brasil

“Em primeiro lugar usar sapatilhas a meu ver é uma questão de gosto pessoal. Explico!

O uso das sapatilhas com o “taquinho” está ligado ao desempenho, onde é possível usar a energia do movimento em todo o ciclo da pedalada. Geralmente usa-se mais em ciclismo de estrada e MTB para trilha ou DownHill, ou seja, para obter melhor performance.

Quem usa diz que outra vantagem é evitar que o pé escape. Porém o solado da sapatilha é muito rígido, justamente para que ela cumpra melhor o seu objetivo que é obter maior desempenho na pedalada. Essa rigidez do solado pode causar dores ao caminhar e como o cicloturista costuma parar várias vezes durante o trajeto da viagem pelos mais diversos motivos, esse desconforto pode ocorrer com maior frequência.

Já li relatos de pessoas que usaram sapatilhas para cicloturismo e a partir do segundo dia de viagem sentiram  dores nos dedos e nas plantas dos pés, tornando a caminhada fora da bicicleta  um sofrimento. Outro detalhe é o fato do “taquinho” da sapatilha ser um pouco ressaltado para fora da sola, fazendo barulho ao caminhar e ocasionar escorregões em determinados tipos de pisos que podem machucar o viajante. Já presenciei diversos desses escorregões.

Apesar dessas ponderações muitas pessoas utilizam sapatilhas no cicloturismo.

Por não se tratar de competição, o ritmo do cicloturismo é bem mais tranquilo, dando maior preferência para o conforto do cicloturista na bicicleta e fora dela. Por esse motivo utilizo uma sandália da Salomon que é fechada com uma espécie de tela com furinhos para melhor arejar os pés, propiciando maior conforto para pedalar e caminhar.

O sistema de “firma-pé” fixados nos pedais dá mais liberdade e facilidade para tirar os pés nos momentos de paradas, sem as surpresas dos tombos ocasionados pelo uso dos pedais com sapatilhas, que muitas vezes não consegue se desprender do pedal.

O importante em minha opinião, é ter um calçado que deixe a pessoa mais confortável possível, e no meu caso, não é com o uso de sapatilhas.”

1385867_703230899687818_1560875624_nWalter Magalhães  é Analista de Sistemas e Fotógrafo. Pratica o cicloturismo desde 1991. Viajou de bicicleta pela França, Argentina, Chile, Espanha (Caminho de Santiago de Compostela), Cuba, Estrada Real, Caminho do Sol, entre outras. Dedica-se a atividades de incentivo ao cicloturismo associado à fotografia e filmagens. Mora em São José dos Campos – SP.

Para falar com ele: www.waltermagalhaes.com

Palestra: Noruega by Bike

Foi com enorme alegria, que no último dia 9 de junho, compartilhei com todos os participantes do XI Encontro Nacional de Cicloturismo, realizado em Campos do Jordão – SP, minha experiência em pedalar 5000 km ao longo de todo o litoral da Noruega. Fiquei muito feliz com a oportunidade e agradeço aos organizadores do encontro pelo convite.
Mais uma etapa… agora é só esperar o livro ficar pronto e dar o Projeto Noruega by Bike como concluído.

Festa de chegada e aniversário

PessoALL,

Minha chegada está se aproximando e já estou ansioso … Pra matar a saudade de casa, penso logo na combinação de uma boa feijoada, regada a chopp e muitos amigos!
Portanto, resolvi marcar a comemoração para o Bartho…( http://www.obaoba.com.br/sao-paulo/bar/perdizes/bartho-chopperia ) Rua Caiubí 1249, esquina com a Apinajés, às 13hs! Sábado dia 13 de agosto!

Motivos para comemorar é o que não falta… além do “Noruega by bike”, ainda tem meu aniversário, a volta para o Brasil, e muitas outras coisas…

Espero encontrar vcs por lá!

Último capítulo

Chegando ao final...


Grense Jakobselv


Feliz por realizar um grande sonho e ao mesmo tempo um pouco triste por ter terminado essa minha grande aventura. 96 dias, 4.515 km pedalados, 5.180 km percorridos com as travessias de barco. Muitas histórias para contar! Muitas emoções vividas!
O projeto Noruega By Bike chega ao fim com um saldo bem positivo. Muitas lições aprendidas desde a fase de planejamento, captação de recursos, marketing e execução. A maior delas talvez seja o fato de ver cada obstáculo, cada dificuldade, como uma oportunidade de aprendizado.

Ao fundo as bandeiras da Rússia e da Noruega...


Aprendi que devemos aproveitar as oportunidades e não deixar nada para amanhã. Assim as chances de encontrar a felicidade são bem maiores.
Aprendi que sozinho se pode ir longe, basta enfrentar suas próprias limitações com coragem e determinação. Aprendi também que é muito mais fácil chegar lá com apoio. Deixo aqui mais uma vez meus agradecimentos as 4 empresas que acreditaram em meu projeto e confiaram em mim. Um marinheiro, ou ciclista de primeira viagem. Esse desafio sem ajuda de vocês seria ainda mais difícil. Muito obrigado EMPÓRIO CHIAPPETTA, NUTRIN, PEDAL POWER e EF ELEMENTOS FILTRANTES. Espero contar com vocês em meu próximo projeto!
Aprendi há conviver um pouco mais com a distância, e hoje carrego a certeza que é muito bom ter saudade. A saudade enche o coração de alegria! Faz-nos lembrar das pessoas queridas, nos alimenta, nos aquece.

Marco territorial


Aprendi que na vida sempre tem alguém melhor do que você! E que você nem sempre vai vencer… O mais importante é sair de uma batalha tendo a certeza que deu o melhor de você.
Aprendi a dar valor às pequenas coisas. Aprendi a deixar algumas coisas para trás!
Aprendi que os anos passam muito depressa, e a melhor coisa para diminuir sua velocidade é “fazer o quanto antes”. Viva o presente! Assim você terá mais coisas para lembrar do passado!
Aprendi que ninguém chega “lá” se não der o primeiro passo!
Aprendi que a vida fica ainda muito mais gostosa tendo alguém com quem compartilhar!
Vocês não imaginam a minha felicidade em ver os acessos no blog se multiplicando a cada dia. Muito obrigado a você que todos os dias me seguia como “novela”. Foi muito bom compartilhar essa aventura com vocês. Tenha certeza que sua participação foi um grande combustível para minha motivação. Acho que agora é hora de pensar na festa da chegada… o que vocês acham? Uma festinha seria legal, né? Continue acessando o blog… está meio difícil organizar as coisas daqui. Assim que for definida data e local vou postar.

Fim da linha...


Aprendi o quanto é bom ter amigos!
Muito obrigado amigos, vocês são a grande alegria da minha vida!
Muito obrigado alunos, que todos, sem exceção, compreenderam o meu momento e entenderam o verdadeiro motivo desta viagem.
Muito obrigado família, pela paciência, pelo carinho, pelo respeito… Sempre juntos!
Muito obrigado Ana Laura, pelo simples fato de existir…

“Dedico essa viagem ao meu pai, que esteve comigo em todos os momentos da minha vida. Sentiu a minha dor, compartilhou minhas alegrias. Que sempre nos incentivou, a mim e as minhas irmãs, a buscar os nossos sonhos. Que é exemplo de bondade. É muito bom ser seu filho!”.

Last chapter

I am happy for making a great dream come true and at the same time a little sad once this great adventure has come to an end… It was 96 days, 4.515 km pedaled, going through 5.180 km including the boat crossings. Many stories to tell! Passing through many emotions!
The Norway By Bike Projects reaches the end with a positive balance. Many lessons were learned since the planning stage, fund raising, marketing and execution. The greatest of them was the fact to face each obstacle, each difficulty, as a learning opportunity.
I have learned that we must take the advantages of opportunities and not leave anything for tomorrow. In this way the chances to find happiness are much larger. I have learned that we can go further alone, all we have to do is to face our own limits with courage and determination. I have also learned that it is much easier to get there with a support. I want to express my thanks to the 4 companies who have believed in my project and who have trusted on me.
I am a first voyage sailor or biker. This challenge without your help would have been much harder. I am very thankful to EMPÓRIO CHIAPPETTA, NUTRIN, PEDAL POWER e EF ELEMENTOS FILTRANTES. I hope to count on you for my next Project!
I have learned a bit more how to live with the feeling of distance, and today I am sure that the feeling of missing the ones and things we love is very good. To miss them fills our heart with happiness! It makes us remember of the people we love, and this can feed and warm us.
I have learned that there is always someone better than you in life! And that you are not always going to win… The most important is to get out of a battle being sure that you had made the best you could. I have learned to appreciate the small little things. I have learned to live some things behind!
I have learned that the years pass by very fast, and that the best thing to slow it down is to “do it the sooner the possible”. Live up the moment! In such a way you will have more things to remember from the past!
I have learned that no one gets “there” if not taking the first step!
I have learned that life gets much better having someone to share!
You can’t imagine my happiness to see the hits on the blog multiplying each day.
Thanks a lot to you that have followed me everyday like if it were a “soap opera”. It was very good to share this adventure with you. I am sure that your participation was a great fuel for my motivation. I think now it’s time to think about the arrival’s party…what do you think? Throwing a small party would be cool, wouldn’t it ? Keep on visiting the blog… it’s pretty hard to organize things from here. As soon as I have the date and place set I will post it on the blog.
I have learned how it is good to have friends!
Thanks my friends, you are the greatest happiness of my life!
Thanks to my students, all of them, without exceptions, who have understood this moment of mine and understood the real reason for this trip.
Many thanks to my family, for the patience, affection, and respect…always together! Thanks to Ana Laura, for the simple fact of existing…

“I dedicate this trip to my father, who has been with me in all the moments of my life. He has felt my pain, he has shared my happiness. He has always encouraged us, me and my sisters, to pursue our dreams. He is an example of kindness. It is very good to be his son!”.