Singapura! A cidade que encerra o projeto Ásia by Bike é incrível!!!

Singapura é incrível! Cidade organizada, limpa, segura, com um excelente sistema de transporte público, ciclovias, e incrivelmente verde. A cidade oferece muitas atrações para os mais variados interesses. Museu, parques, shopping centers, bares e restaurantes. Tem também Zoológico, o maior aquário do mundo, uma incrível floresta urbana fechada por uma cúpula que reproduz o ambiente de uma floresta tropical e muito mais…

Eu ainda não tive tempo de visitar tudo e precisaria de muito mais tempo do que disponho… comecei pelo Bairro de Bugis, onde fica a tradicional Arabic Street, perto de onde estou hospedado. Conheci também Chinatown, Marina Bay e compartilhei o sábado a noite com locais e turistas em Clarke Quay, um conjunto de 5 enormes armazéns restaurados  que abriga vários restaurantes e discotecas com gente das mais variadas tribos… É o principal centro noturno da cidade! A única coisa que atrapalha um pouco são os preços… bem diferente dos outros países que passei, o padrão aqui é alto!

Veja algumas fotos que fiz e espere no próximo post a novidade que prometi!

Arabic Street - Singapura

Arabic Street – Singapura

Ótimos restaurantes...

Ótimos restaurantes…

Mesquita em Bugis - Arabic District.

Mesquita em Bugis – Arabic District.

 

Chinatown - Singapura

Chinatown – Singapura

Templo Budista Chinatown - Singapura

Templo Budista Chinatown – Singapura

Roda Gigante - Singapura

Roda Gigante – Singapura

Marina Bay - Singapura

Marina Bay – Singapura

Marina Bay - Singapura

Marina Bay – Singapura

 

 

 

 

 

 

Kho Phi Phi, o destino mais procurado da Tailândia

Antes de começar a falar da Malásia preciso falar sobre a Ilha de Phi Phi. É o destino mais procurado da Tailândia graças a Praia de May Bay, onde foi filmado o filme “A Praia”. Eu a Cynthia tivemos ótimos momentos por lá e com certeza está entre os principais destaques da viagem. Um paraíso do qual nunca mais esqueceremos! 

Nós fizemos um passeio onde pernoitamos na Baia de May Bay, e acordar com a praia só para a gente foi sensacional! Éramos apenas 13 pessoas naquele paraíso tão procurado. A dica foi do Expert em Tailândia, Allex Ferreira, mais um ex-aluno que virou grande amigo. Confira as fotos e espere pela Malásia! Um grande abraço!

Valeu Allex! 

IMG_3747

A caminho de May Bay, Phi Phi Island, Tailândia.

IMG_3773

Chegando em May Bay, Phi Phi Island, Tailândia.

 

ÉÉÉÉ Nóóóóóiiiisssssss...

ÉÉÉÉ Nóóóóóiiiisssssss…

IMG_3835

May Bay, Phi Phi Island, Tailândia.

IMG_3881

May Bay, Phi Phi Island, Tailândia.

 

Resposta para Cynthia

Minha querida irmãzinha

Minha querida irmãzinha

Em primeiro lugar gostaria de dizer que fiquei emocionado quando li o que você escreveu. Estava esperando uma coisa completamente diferente quando pedi um depoimento da viagem. E não foi a primeira vez! Toda vez que leio o prefácio do meu livro Noruega by Bike me emociono… você escreve muito! Eu não tenho esse talento todo, você sabe disso, mas gostaria de te dizer algo também!

Não é todo dia que temos a oportunidade de passar 30 dias, 24 horas, com uma irmã, viajando de bike então, nem se fala! Acho que poucos tiveram uma oportunidade como a nossa… Fico feliz de ter vivido isso e mais feliz ainda pela certeza que não foi a última vez. Eu não sei se é possível apertar mais o laço, mas você é muito mais que irmã, é uma baita amiga!

Forte, determinada, guerreira, companheira, flexível, amável, com um tremendo talento em dizer as coisas certas na hora exata. No entanto tudo isso você já fazia e essa irmã eu já conheço de longa data… Toda vez que me aperto, é com você que me desabafo e é com você que encontro a força necessária para tomar a decisão e seguir com meus projetos. Você sempre é peça fundamental em minhas viagens… é meu porto seguro… minha catapulta ou meu freio, e sei que posso sempre contar com você quando tenho problemas. Ter essa certeza também me deixa tranquilo e talvez por acompanhar de perto o que eu faço te traz tranquilidade também. Me lembro de quando precisei achar um médico na viagem da Noruega…  a primeira coisa que fiz foi falar com você… em menos de dez minutos o doutor já estava na linha. Isso sim é tranquilidade!

Com tudo isso, posso dizer que minha única preocupação com relação a você era achar um lugarzinho no final do dia em que você poderia dar um trato nos cabelos… de resto, depois que você sobreviveu aquela caganeira na viagem de bike que fizemos em Santa Catarina, onde realmente achei que bateria com as 10, sempre soube que você era pau prá toda obra! Parabéns! Acho que não poderia ter uma parceira melhor para viajar de bicicleta.

Servir de exemplo é uma grande responsa! Na verdade gosto disso, me ajuda me manter na linha, e só em saber que você se julga melhor agora de que quando começou a viagem, já me deixa orgulhoso e certo de que estamos todos no caminho certo.

Um bj

Te amo!

Tato

 

 

 

 

A Cynthia está indo embora… veja seu depoimento.

IMG_2962

Então é isso. Não tive coragem de pedir demissão para cruzar o sudeste asiático com o Aurélio, e por isso meu período de pedal foi mais curto que a vontade.  Coragem é foda.  Toda vez que penso nisso, tenho vontade de várias coisas diferentes, como pedir demissão por e-mail e também de voltar logo pra SP e fazer tudo aquilo que venho fazendo, afinal a vida tá boa sim, e time que está ganhando não se mexe.

Enfim, sou grata em ter conseguido tirar carnaval + 30 dias de ferias para poder experimentar um pouco, o que para muitos é uma verdadeira loucura: uma grande viagem de bicicleta (pelo menos para mim). Muito mais do que saber por onde pedalar, para que lado temos que ir ou onde vamos parar, esta viagem me trouxe a tona o verdadeiro significado do que é ter um irmão.

 O Aurélio sempre foi uma fonte constante de inspiração para mim e minha gratidão a ele depois dessa, aumentou exponencialmente.  Às vezes ele erra sim (como saber se vai chover, por exemplo), mas independente de qualquer coisa, ele me traz uma segurança e tranquilidade danada.  Sabe aquela musica “tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo”?  Bom, foi mais ou menos este o ritmo da minha viagem.

Quando decidi viajar pela Tailândia com o Aurélio, minha expectativa sempre foi de voltar alguém melhor do que fui.  Queria algo para mim mesmo, pode até parecer meio egoísta, mas minha procura nem era por paisagens ou ganhos culturais, apesar de tudo isso ser bem atrativo, mas sim em autoconhecimento.  Estava em busca de achar a resposta para tudo aquilo que não tinha e ainda voltar com as próximas perguntas prontas.  Objetivo arrojado, eu sempre soube.

Preciso dizer que muito mais do que meus anseios e expectativas, foi uma viagem que me ensinou muito sobre equilíbrio.   Sobre ter a humildade e tolerância para aceitar o desconhecido.   Sobre estar sempre focada, muito focada, e paradoxalmente poder manter a visão ampla, quase que infinita. Precisa-se estar em movimento  e assim oxigenar tudo aquilo que é necessário: da cabeça a panturrilha, e em especial o coração.

IMG_2906

 Aprendi tirar proveito da amplitude do significado de cada situação, tenha sido ela adversa ou favorável.   E o melhor, posso dizer que segui livre de tudo e ainda assim consegui manter firmemente minha perspectiva da realidade do mundo.  Mundo esse que se torna mais intrigante e especial a cada pedalada.   Talvez meu mundo tenha novas lentes agora, talvez sem miopia… talvez também seja minha euforia em cumprir a viagem até o fim.

Meu desejo de final de viagem é que o Aurélio consiga inspirar muito mais pessoas em seu caminho e que nunca perca o equilíbrio e a coragem. 

Chegou a hora de ir para casa.  Sinto que sou melhor hoje do que quando cheguei. 

IMG_0957

Levamos 4 dias para ir de um lado a outro da península asiática

Nos últimos 4 dias pedalamos cerca de 270 km.  Cruzamos a península asiática de um lado ao outro.  Desta vez a altimetria ficou adversa e a Cynthia deu azar, pois foi subida e descida o tempo todo.  Nada parecido com as subidas da Noruega, é verdade, mas de qualquer forma o caminho se tornou um pouco mais pesado.  O vento contra e o calor também contribuíram fortemente para o desgaste deste trecho.  Tudo isso nos levou a fazer mais paradas que de costume, e é exatamente sobre as paradas durante o pedal que quero dividir com vocês um pouquinho hoje.

Acordamos bem cedinho e pedalamos por cerca de duas horas, antes da primeira parada que geralmente é em uma das barraquinhas de frutas que facilmente encontramos no caminho… Pode ser melancia, abacaxi, manga ou coco.  As frutas são cortadas na hora e servidas geralmente com um tempero apimentado que, acreditem, realça ainda mais o sabor das frutas. Uma delicia!

IMG_0982

Família de muçulmanos vendendo abacaxi e distribuindo sorrisos a beira da estrada.

A próxima parada é a do almoço e a mais estratégica delas, pois buscamos também um bom lugar para descansar e esperar o sol baixar um pouco.  Os tailandeses fazem de tudo para nos agradar, geralmente oferecem sua casa para deitarmos um pouco e tirarmos um cochilo.  Nessas horas podemos também apreciar e conviver com o dia a dia deste povo tão gentil e hospitaleiro.  Mesmo tendo percebido uma mudança importante por aqui, onde parte da população passa a ser muçulmana ao invés de exclusivamente budista, nada muda a vontade e disposição dos tailandeses em sempre nos receber com um sorriso, um copo de água geladinho ou o melhor local de suas casas para nosso descanso.

Um almoço leve e delicioso em um restaurante na beira da estrada...

Um almoço leve e delicioso em um restaurante na beira da estrada…

Depois do almoço, aproveitamos a hospitalidade do povo local e tiramos um bom cochilo.

Depois do almoço, aproveitamos a hospitalidade do povo local e tiramos um bom cochilo.

Depois paramos duas ou três vezes a tarde, agora em busca de qualquer coisa gelada, vale de tudo para amenizar o calor.  Nessas paradas, aproveitamos para abastecer as caramanholas de gelo sempre que possível.

Tomando um sorvetinho de coco para refrescar...

Tomando um sorvetinho de coco para refrescar…

Eba!! Água de coco geladinha...

Eba!! Água de coco geladinha…

A parada mais esperada obviamente é no final do dia, onde paramos em algum lugar  que nos ofereça um banho e uma cama para recarregar as energias até o dia seguinte…