Último trecho da Ilha sul da Nova Zelândia até Wellington

A viagem pela ilha sul da Nova Zelândia chegou ao fim sem muitas novidades. Tudo ocorreu como o planejado.

Sem muita pressa, Jordi e eu resolvemos ficar mais um dia em Nelson, centro econômico e cultural da região norte da ilha sul da Nova Zelândia  para aproveitar o final de semana e conhecer a feira de produtos locais. Pequenos produtores de geleia, embutidos, queijo, pães, frutas, bijuteria, bolsas, roupas pratos típicos e tudo mais, fazem a alegria dos turistas e locais… bem parecida com as feirinhas do Brasil.

Vendedores de antiguidades da feirinha em Nelson.

Vendedores de antiguidades da feirinha em Nelson – Nova Zelândia.

Dia de descanso em Nelson - Nova Zelândia

Dia de descanso em Nelson – Nova Zelândia

Menina em Nelson no desfile de Natal para crianças. Nova Zelândia

Menina em Nelson no desfile de Natal para crianças. Nova Zelândia

Depois fizemos um desvio de um dia para conhecer Portage. No caminho acabamos encontrando um fazendeiro que ofereceu uma casa desocupada para passarmos a noite. Pedimos para acampar e ele ofereceu a casa! Essa foi boa!

Jordi e Eu fazendo um lanche em uma casa desocupada de um fazendeiro local.

Jordi e Eu fazendo um lanche em uma casa desocupada de um fazendeiro local.

A ideia era fazer uma trilha de um dia entre Portage e Camp Bay e voltar de barco direto para Picton, no entanto a trilha foi fechada para bicicletas dias atrás, o que gerou uma certa frustração… e o jeito foi voltar pedalando na mesma estrada até o trevo com a estrada 6 e de lá seguimos para Picton.

Trilhas fechadas para bicicleta devido ao enorme números de trilheiros...

Trilhas fechadas para bicicleta devido ao enorme números de trilheiros…

A balsa entre Picton e Wellington custa NZ$ 52,00 por pessoa + NZ$ 15,00 por bicicleta. São 3 horas de travessia, aproximadamente 96 km. É uma viagem bacana, entre montanhas, baias e enseadas.

Balsa entre Picton e Wellington - Nova Zelândia

Balsa entre Picton e Wellington – Nova Zelândia

Balsa entre Picton (ilha sul) e Wellington (ilha norte) - Nova zelândia

Balsa entre Picton (ilha sul) e Wellington (ilha norte) – Nova Zelândia

Chegamos em Wellington debaixo de uma fina garoa e vento fortíssimo. Escalamos uma montanha até chegar na casa de Barry e Fiona. Barry é um cicloturista experiente, pedalou no Brasil e ficou hospedado por um tempo na casa do Eduardo Sartor de Caxias do Sul. Eu e o “cavalo”, apelido carinhoso do Eduardo pela força e condição física para pedalar, nos conhecemos através dos Encontros do Clube de Cicloturismo do Brasil. Ao saber que a Nova Zelândia estava em meu roteiro ele nos apresentou através do facebook.

Vista da casa de Barry e Fiona. Wellington - Nova Zelândia

Vista da casa de Barry e Fiona. Wellington – Nova Zelândia

Fiona, Jordi, Barry e eu em um restaurante em Wellington ´- Nova Zelândia

Fiona, Jordi, Barry e eu em um restaurante em Wellington ´- Nova Zelândia

Wellington é a capital da Nova Zelândia com aproximadamente 400 mil habitantes.Assim como Christchurch e Auckland é um importante centro comercial, cultural e financeiro do país. Conhecida como Windy Wellington devido aos fortes ventos provenientes do Estreito de Cook a cidade já sofreu com terríveis terremotos (1848 e 1855), que ainda são frequentes, e possui pouca área plana, obrigando seus moradores a construir casas nas colinas ao redor do centro da cidade. Situada a 41° de latitude sul, é a mais meridional capital nacional do mundo, e suas principais atrações são o Museu TE PAPA ( “Nosso lugar” na língua Maori – língua falada pelos nativos da Nova Zelândia), a Catedral de St Paul´s, o Mont Victoria que oferece a melhor vista da cidade. Outros museus, zoo, casa do parlamento também são pontos a serem visitados se tiver bastante tempo na cidade.

 

 

Anúncios

Meu presente de natal!!! Obrigado Brambilla Comunicação

12_marca_verde_amarelo_pt12_marca_verde_amarelo_en

 

Conceito: Uma viagem que vai a fundo na descoberta, nos hábitos culturais, que vai contra os clichês turísticos, certamente ampliam sua experiência com os costumes populares.  Por este motivo fizemos uso de “tipos da escrita popular” asiáticos e brasileiros para quebrar a frieza, ampliar a proximidade com os costumes e tornar a transição mais harmônica, porém mantendo a quebra entre CHINA e BRASIL. As cores Vermelho (China)  e verde e amarelo (Brasil) traduzem e ampliam cada cultura.

 

Bon appetit aos membros do Warm showers….

Estou usando e abusando do warm showers! Aquele site de hospedagem para ciclistas que já mencionei algumas vezes.

A logística é simples! Dias antes de chegar eu mando uma mensagem com algumas informações sobre mim e sobre o projeto da China para Casa by Bike e fico na torcida por uma resposta afirmativa. Vez ou outra não funciona… Algum ciclista chegou primeiro, ou o anfitrião não se encontra em casa ou simplesmente não obtenho resposta em tempo hábil… Mas no geral minhas investidas são aceitas e sou muito bem recebido!

O warm showers é legal porque a maioria dos anfitriões também viajam de bike e a sintonia é imediata! Eles sabem do que preciso, pois já viveram essa situação e as coisas se tornam bem mais fácil em comparação ao Couchsurfing por exemplo.

No geral, encontro lugar seguro para guardar a bike, máquina de lavar roupas, internet, cama confortável, boa comida e muito bate papo! É uma mistura de troca de conhecimento e algo mais, que só quem viaja de bike entende… Parece que já somos amigos de longa data e o papo rola solto… por todos os cantos e lugares do mundo… É uma delícia conversar e aprender com esse povo todo que encontro em minha jornada. Uns são vegetarianos, outros religiosos, tradicionais, modernos, alternativos… cada país com suas particularidades e variáveis… dentro de uma só cultura… interessantíssimo…

Vira e mexe, me convidam para cozinhar, e é claro que  eu aceito! Pois é uma ótima oportunidade de comer aquilo que eu adoro! Geralmente vou ao mercado, compro os ingredientes e aí… é só alegria!!! Mas estes mexilhões foram colhidos na hora!

Mexilhão ao creme.

Mexilhão ao creme.

Cozinhando na casa de Don. Westport - Nova Zelândia

Cozinhando na casa de Don. Westport – Nova Zelândia

Picadinho de filé

Picadinho de filé

Ceviche

Ceviche

Banana assada em dia de acampamento selvagem.

Banana assada em dia de acampamento selvagem.

Também encontro boa comida e gente que gosta de cozinhar… e a alegria é a mesma!!! kkkk

Ms. Glanys preparando curry de vegetais e grão de bico!

Ms. Glanys preparando curry de vegetais e grão de bico!

Schoot se deliciando com um hambúrguer.

Schoot se deliciando com um hambúrguer.