Que saudade do conforto lá de casa!

De Miena, que fica bem no centro da Tasmânia, pedalei para o norte até Deloraine me deliciando com o vento me empurrando e uma espetacular descida de 30 minutos com lindos visuais. O sol ajudou a espantar um pouco o frio.

Lago em Miena ( 1000m de altitude).

Lago em Miena ( 1000m de altitude).

De Deloraine segui para leste, passando por Launceston e Sccotsdale até chegar ao litoral em St. Helen. Neste trecho o vento soprou contra, enfrentei duras colinas e poucos pontos de apoio, me forçando a aumentar a carga com suprimentos e dormir em barraca.

Eu não vejo problemas em dormir em barraca, para falar a verdade eu até gosto. Contato direto com a natureza… Sabe como é?! Mas e o banho? Os lenços umedecidos quebram um galhão… O duro mesmo é sair da barraca de madrugado com um frio de rachar para ir ao banheiro… Quando é para fazer o n° 1 tudo bem… Agente só treme um pouco de frio e depois volta correndo para o saco de dormir (no meu livro Noruega by Bike, conto um episódio em que desmaiei e despenquei de um barranco  quando fechava o zíper das calças logo depois de fazer xixi)… Mas para fazer o n° 2… Putz!! Aí incomoda! Pega a lanterna e sai à procura de papel higiênico no meio da bagunça dentro da barraca… ufa, achei! Veste um casaco mais forte (nunca sabe o tempo que isso vai durar), gorro, calças, coloca o tênis e sai com a lanterna procurando um lugar razoável… Na maioria das vezes uma pequena inclinação no terreno já ajuda a se manter equilibrado e um pouco mais confortável na posição agachado. Se o terreno for plano, lá vai eu com a lanterna na mão procurar duas pedras para colocar nos calcanhares ( isso ajuda a se manter equilibrado e é muito mais confortável)… Aí pronto! Abaixa as calças, afasta os pés ao máximo para não “melar” o tênis, lembrando que o rolo de papel está no bolso da jaqueta e a lanterna na mão ou presa na testa (dependendo da urgência você pega a primeira que encontra). Nesta hora o frio já começa a incomodar e a única coisa que agente pensa é terminar logo! Aí a coisa vai indo… e depois de pouco tempo as articulações de joelho, tornozelo e quadril começam a fadigar ( não se esqueça que pedalei o dia inteiro)… aí tentamos acelerar o processo… Pronto, terminou a primeira parte! Com cuidado, para evitar surpresas e melecas, o ideal é mudar de posição para se limpar… não muito longe, já que vou usar a “obra prima” como cola para o papel higiênico usado não voar. Pronto… já estou limpo e o desafio agora é buscar uma pedra grande para esconder a sujeira. Dependendo das condições, boto fogo no papel higiênico…

De volta ao saco de dormir… pego mais um lencinho umedecido para limpar as mãos, tiro as roupas, apago a lanterna, ajeito o travesseiro feito com o restante das roupas que carrego, e pego no sono, feliz da vida, pensando que não tem MERDA nenhuma nesse mundo que vai me fazer parar de pedalar em busca do confortável banheiro lá de casa!

 

 

 

 

 

 

 

10 comentários em “Que saudade do conforto lá de casa!

  1. Cynthia disse:

    Oi Tato, posta uma foto do acampamento! Saudades

  2. Marilisa disse:

    Caramba!!! Boa sorte e cuida da dieta!!! Um abraço!!

  3. Paulo Seth disse:

    Uma estoria de merda bem contada…

  4. Sueli disse:

    Kkkk! Só você mesmo. Bjs

  5. I. m Jordi´s mather. I´ve seen all your photos and videos, which are very nice. Good licky. I hope to see you in one and a half year.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s