Resumo dos meus primeiros dias de Tasmânia… E o frio está pegando!

Última foto de feita de Melbourne já do navio Spirit of Tasmania.

Última foto de feita de Melbourne já do navio Spirit of Tasmania.

Minha viagem de Melbourne até a Tasmânia durou a noite toda e por pura sorte acompanhei o mais belo eclipse da minha vida. Eu não sabia do eclipse até encontrar com Jiva, um morador local que veio até mim curioso com a minha bicicleta cheia de alforjes e puxou conversa. Infelizmente não estava com uma lente potente o suficiente para fazer uma boa foto do eclipse… vou ficar devendo.

Navio Spirit of Tasmania já atracado em Devoport - Tasmânia

Navio Spirit of Tasmania já atracado em Devoport – Tasmânia

De Devonport (Tasmânia), segui viagem para uma pequena cidade chamada Lorinna, um pedal difícil de 70 km entre as montanhas com temperatura entre 3 e 11° C para chegar na casa de Elyse e Wauther que aceitaram me hospedar via warmshower.

Elyse e Wauther, casal que conheci através do warmshower.

Elyse e Wauther, casal que conheci através do warmshower.

O jovem casal vive em uma fazenda entre as montanhas e estão começando uma espécie de cooperativa para fornecer legumes frescos para os moradores da região. Eles são vegetarianos e o jantar foi colhido minutos antes de ir para a mesa. Foi um refeição farta de legumes, vegetais e uma cerveja produzida por eles.

Estradinha chegando em Lorinna - Tasmânia.

Estradinha chegando em Lorinna – Tasmânia.

Estradinha chegando em Lorinna - Tasmânia.

Estradinha chegando em Lorinna – Tasmânia.

No jantar conheci Chris, um amigo do casal que estava indo para uma parte da ilha que não estava em meu roteiro. Ele viaja de motor-home e depois de uma boa conversa aceitei o convite de viajar com ele durante dois dias por uma região que não teria oportunidade de conhecer de bicicleta.  Em dois dias percorremos cerca de 280 km entre as montanhas do lado oeste da Tasmânia para conhecer Cradle Valley, Rosebery, Zeehan, Queenstown entre outros pontos turísticos.

Cradle Valley

Cradle Valley

Chris em nosso acampamento no primeiro dia de viagem.

Chris em nosso acampamento no primeiro dia de viagem.

Chris me deixou em Bronte Park, cerca de 100 km entre as gélidas montanhas da Tasmânia até Deloraine, onde vou retomar meu roteiro inicial e seguir para o lado leste da ilha até Hobart que fica no sul. Estou em Miena, cidade que fica a 1000 metros de altitude e a temperatura esta noite vai chegar a – 4 ° C… e no caminho até aqui, entre uma chuva de granizo e vento frio, pela primeira vez em minha vida, pedalei debaixo de neve. Esta foi a única foto que consegui antes da máquina parar de funcionar devido ao frio.

Juro que é neve! Nas montanhas da Tasmânia

Juro que é neve! Nas montanhas da Tasmânia

 

Great Ocean Road e 12 Apostles

Antes de deixar a parte continental do território australiano e seguir para a Tasmânia pedalei na Great Ocean Road, uma estrada de 243 km  a beira-mar  entre as cidades de Torquay e Warmambool no estado de Victória no sul da Austrália.  A Great Ocean Road é uma estrada que exige preparo físico e muita atenção dos ciclistas, já que é muito sinuosa, montanhosa, exposta a fortes ventos e em grande parte não existe acostamento. Em contrapartida, é uma estrada belíssima, que a cada quilômetro percorrido oferece vistas incríveis.

Parada para repor as energias na Great ocean Road. Victória Austrália.

Parada para repor as energias na Great ocean Road. Victória Austrália.

 

Great Ocean Road. Victória Austrália.

Great Ocean Road. Victória Austrália.

 

Eita ladeira!!!

Eita ladeira!!!

Parada para repor as energias na Great ocean Road. Victória Austrália.

Parada para repor as energias na Great ocean Road. Victória Austrália.

Great Ocean Road. Victória Austrália.

Great Ocean Road. Victória Austrália.

Vista da  Great Ocean Road. Victória Austrália.

Vista da Great Ocean Road. Victória Austrália.

Sem dúvida os 12 Apostles ( Doze apóstolos) é o ponto alto da estrada. Essa incrível formação de arenito esculpida pelas ondas e ventos destacam-se do continente como torres que chegam a 45 m de altura. Hoje, devido a erosão de longos anos, restam apenas 8 colunas, mas o governo australiano insiste em chama-las de 12 Apostles, um nome um tanto quanto turísticos que continua atraindo milhares de turistas todos os anos.

Por-do-sol em 12 Apostles

Por-do-sol em 12 Apostles

Por-do-sol em 12 Apostles

Por-do-sol em 12 Apostles