Baía de Halong – Espetáculo da Natureza

IMG_8775

Situada no Norte/Nordeste do Vietnã no Golfo de Tolkin, a Baía de Ha Long é um espetáculo esculpido pela natureza. O arquipélago é formados por uma infinidade de ilhas e ilhotas de tamanhos e formas variadas que surgem do mar como pilares de pedra calcária. A erosão costeira ao longo de milhares de anos entalham arcos e cavernas das mais variadas formas, deixando o lugar ainda mais pitoresco. Em 1994 a Baía passou a fazer parte do Patrimônio Mundial da Unesco.

IMG_8788

Vila de pescadores em casas flutuantes na Baía de Ha Long

A quantidade de turista que visita a região assusta e é o contraponto desse incrível espetáculo da natureza. Os vietnamitas batizaram o lugar como a oitava maravilha do mundo.

O pacote de dois dias e uma noite inclui um almoços, jantar e café da manhã a bordo, pernoite em quartos duplos e almoço no desembarque na cidade de Ha Long. O barco faz uma parada antes do anoitecer para um passeio de caiaque entres as ilhotas. O visual é sensacional!

Passeio de caiaque

Passeio de caiaque

Passeio de caiaque

Passeio de caiaque

IMG_8821

As refeições são simples, e depois do jantar, rola uma música no restaurante. Ideal para conhecer pessoal de todos os lugares do mundo. Fiz amizade com 3 argentinos e 2 holandesas.

Galera do Navio: Cecília, Inês e Fede (Argentina), Rubi e Olga (Holanda)

Galera do Navio: Cecília, Inês e Fede (Argentina), Rubi e Olga (Holanda)

 

Nascer do sol na Baía de Ha Long - Vietnã

Nascer do sol na Baía de Ha Long – Vietnã

 

Baía de Halong

Baía de Halong

Baía de Halong

Baía de Halong

Sôt,13 anos de pura simpatia.

Estava preocupado! Tinha poucos trocados em moeda local (Dong). Nas oportunidades que tive para trocar, ou encontrei os bancos fechados, ou eles não trocavam US$. Os dois caixas eletrônicos que encontrei não operavam cartão estrangeiro. Eram em cidades muito pequenas! Então, meu plano era parar em Tiên Yên, uma cidade um pouco maior no caminho para Ha Long, meu próximo destino.

IMG_9897

Na entrada da cidade, Sôt, essa figurinha de 13 anos começou a me seguir com sua bike. Com um sorriso no rosto fez como toda criança vietnamita que cruza meu caminho e disse: Hello! Tirando a mão rapidamente do guidão e acenando.

Para minha surpresa, ela falava um inglês bem razoável e soltou em seguida: Can I help you?

Disse a ela que estava procurando um banco e ela soltou: Ok! Folow me! E lá fui eu atrás da menininha.

Consegui sacar dinheiro e pedi a ela para me levar a um restaurante. A menininha descolada, sentou comigo, me adicionou ao facebook e traduziu para alguns adultos o que eu estava fazendo, para onde eu estava indo e tudo o mais.

Fiquei encantado com a minha nova amiguinha! Uma criança que tem alguns repentes de adulto… Cheguei a me emocionar algumas vezes. A saudade me fez imaginar estar conversando com a minha filha. Até os óculos me fez lembrar a Ana Laura! Esse encontro valeu o dia!

É por essas e outras que é muito bom viajar de bicicleta!

Feliz Natal e bye bye China

 

Olá Pessoal,
Minha jornada na China chegou ao fim. Estou em Dongxing na divisa com o Vietnã. Amanhã devo cruzar a fronteira e seguir viagem, retomando o acesso em meu blog e no facebook. Nesses 30 dias pedalei pouco mais de 800 km em estradas empoeiradas e muito pouco atrativas em termos de paisagens. Espero dias melhores no Vietnã.
Hoje é véspera de Natal. É nessa hora que a saudade aperta o coração da gente! Não é fácil passar o Natal longe da família e dos amigos. Mas essa é a vida de um aventureiro! Estou longe, porem sinto cada um dentro de meu peito! Obrigado pelo carinho de todos e FELIZ NATAL!

 

 

Imagem

Yangshuo – Uma China diferente.

Finalmente estou pronto para continuar a viagem. O prejuízo foi grande! 14 dias parado em Beihai, gripe e dor de garganta. Algumas atrações que havia selecionado ficaram para uma próxima vez e talvez esse tenha sido o maior prejuízo.
Nesses dias acabei visitando dois lugares que não estavam em meus planos. A Ilha de Weizhou que fica 40 minutos de barco de Beihai. A ilha é bem pequena e tem muito pouco a oferecer. As principais atrações são um parque com vista para baía principal da ilha e uma antiga igreja católica, raridade aqui na China.
Imagem
Legenda: Ilha de Weizhou
Imagem
Legenda: Baía na ilha de Weizhou
A outra viagem que fiz foi para Yangshuo, que fica na jurisdição de Guilin. Foram 7 horas e meia de ônibus que valeram a pena. A cidade fica encravada em meio as montanhas pontiagudas chamados Carte (tipo de relevo caracterizado pela corrosão química das rochas) e ao lado de um rio muito importante da região, o Rio Li. A cidade é bem diferente da China que conhecia até então, com muitos turistas mochileiros que são atridos pelas cavernas e morros para escalar.
Fiz um passeio de bike para conhecer a “10 Miles Gallery”. 16 quilômetros de estrada plana em meio as montanhas com um lindo visual e um vilarejo medieval ainda em bom estado de conservação.
Imagem
Legenda: Rio Li e as montanhas características da região.
Imagem
Legenda: Vilarejo medieval
Visitei uma das muitas cavernas da região e fui a um dos mais espetaculares show musical que vi na vida. Um teatro onde o palco é o rio Li, picos de montanhas como cenário,  com mais de 500 atores e um show de luzes e cores. O “Impression Lin Sanlie” tem duração de 70 minutos e nem mesmo a chuva e o frio de 8 graus diminuíram o seu brilho.
Imagem
legenda: Silver Cave – Caverna da Prata
Imagem
Legenda:  “Impression Lin Sanlie” show

Preso em Beihai pelo menos até dia 19

Ola Pessoal,
Segundo os Correios, uma postagem leva até 9 dias para chegar à China. Meu trailer foi postado no dia 3/12, com previsão de chegada para o dia 12/12, apenas 3 dias antes do meu visto expirar e ainda tenho muitos quilômetros até a divisa com o Vietnam.
Acompanhando o status do Correio pela internet, vi que minha bagagem ainda não passou pela aduaneira local. Ou seja… esse trem vai atrasar!!! E com isso, não teria tempo para cruzar a fronteira no prazo.
Sendo assim, nesses últimos dois dias corri atrás de aumentar meu tempo de permanência na China. Liguei para a embaixada e para o consulado e consegui achar uma solução, e aparentemente meu visto será prorrogado até o dia 30 de dezembro. Essa é a boa notícia.
Acontece que para prorrogar o visto, recolheram meu passaporte com a promessa de devolver apenas no dia 19/12. Por um lado, acho que vou ter tempo suficiente para receber as minhas coisas e seguir pedalando e por outro, vou ser obrigado a permanecer em Beihai pelo menos até o dia 19/12, comprometendo definitivamente meu cronograma.
Mas não tem erro… a viagem é longa e está apenas começando! Deixa comigo!
Um beijo pra vocês!
Segue algumas fotos de Beihai
 
Imagem
Beibuwan Square
Imagem
Centro Velho de Beihai
Imagem
Mulher na Marina de Beihai
 
 
Imagem
Por do sol em Beihai

Muitos problemas na China

Olá Pessoal,

Quanto tempo sem notícias, não é mesmo? Quem acompanhou o Noruega by Bike deve estar estranhando!

Na verdade estou tendo vários problemas aqui na China. Muitos deles eu já estava esperando, como acesso a internet, comunicação, alimentação, e direção a seguir, já que estou pedalando sem GPS.

Desde quando entrei na China continental estou sem acessar facebook, blog e alguns sites que costumo visitar quando estou viajando de bike. Nas grandes cidades não tenho dificuldade com a rede, nas pequenas, quando tem internet é bem ruim. Meu computador também esta pedindo arrego. Ela já está bem velhote e anda causando problemas. Já perdi alguns arquivos que escrevi. Isso frustra e perco a vontade de escrever tudo novamente.

A comunicação esta sendo feita por miseras palavras em inglês, mímicas, ou de vez em quando com o aplicativo de tradução de celular. Os chineses estão me surpreendendo com a hospitalidade e solidariedade. Aonde chego sou atração, principalmente depois de saberem de onde eu venho e para onde estou indo. Todo mundo quer tirar uma foto comigo. Eles estão me recebendo muito bem! Quando encontro uma pessoa que fala inglês, geralmente fala pouco, mas o suficiente para me ajudar no que preciso.

Imagem

Estudantes me ajudando a encontrar um lugar para ficar

Depois da diarréia com a sopa de cobra, não tive mais problemas com alimentação. E olha que estou comendo em cada restaurante de beira de estrada… Imundos, sem saneamento básico como água encanada e banheiros, e com muita, mas muita mosca! A comida geralmente é boa, quando o cardápio não tem fotos, geralmente sou convidado a visitar a cozinha e escolho a minha refeição a dedo, apontando! Kkk

Imagem

Restaurante á beira da estrada

Viajar sem GPS não esta sendo muito complicado como eu esperava. Geralmente peço para alguém escrever (desenhar os ideogramas) o nome da cidade para onde estou indo e vou seguindo as placas… Quando não encontro sinalização, mostro o papel e me apontam a direção a seguir.

Tudo isso estava esperando e estou tirando de letra. No entanto, o que vem atrapalhando e muito a minha viagem é o Rebobike. Infelizmente não consegui me adaptar ao meu novo trailer desde o início da viagem, causando uma tensão danada. Primeiro foi com a peça que o conecta com a bike. Não conseguia fazer pará-la no lugar nem com reza brava! A cada 30 km mais ou menos ela saia do lugar. Gastava muito tempo para fixar novamente dificultando a progressão. Ao mesmo tempo, a fixação da mochila no carrinho era um problema. Muito pesada e vivia saindo do lugar, o que desestabiliza o carrinho, movendo a peça de fixação. Pela internet e às vezes por telefone consegui conversar com o fabricante e solucionei o problema de fixação. A viagem começou a render e cheguei a fazer mais de 90 km em um único dia, aproveitando a estrada plana e o vento a favor.

Imagem

 

 Uma das poucas vistas que o caminho ofereceu até agora.

Ontem foi a gota d’água. Depois de pedalar mais de 50 km parei para almoçar. Descansei um pouco e segui viagem com destino a Hepu, cerca de 40 km de onde eu estava. Minha idéia era recuperar um pouco o tempo perdido, e resolvi enfrentar o sol forte e a incrível poeira causada pelos caminhões de cana de açúcar. Sentia que algo estava errado e cada vez que olhava para trás notava que o carrinho estava pendendo para um dos lados. Parei, olhei a peça de fixação não encontrando nada errado. Pouco depois, a desestabilização fez o pára-lama do carrinho encostar no pneu. Ao frear para checar novamente, o Rebobike partiu ao meio me deixando na mão no meio da estrada.

Tive que pegar uma carona até Hepu, e agora estou em Beihai, aguardando meu trailer que usei na Noruega chegar pelo correio.

Imagem

Era uma vez meu Rebobike